Valor de Mercado x Patrimônio Líquido

Valor de Mercado x Patrimônio Líquido


Valor de Mercado versus Patrimônio Líquido em 1S2015

É comum haver confusão, até mesmo entre profissionais do mercado, de conceitos como patrimônio líquido (PL), valor de mercado (VM) e valor justo (VJ) de uma companhia aberta com ações em bolsa. Esta publicação objetiva explicitar quais as principais diferenças e quando utilizar estas medidas de desempenho.

O PL é uma medida contábil que representa a parcela dos acionistas após se deduzir do ativo, todos os passivos. Inicialmente o PL é constituído pelo aporte inicial dos sócios e, posteriormente, vai se alterando com os lucros/prejuízos incorridos pela companhia. Além do aporte inicial, podem ocorrer novos aumentos de capital ao longo do tempo o que também contribui para a elevação do PL. Importante dizer que o PL reflete o passado da companhia.

O VM é uma medida de mercado que avalia a cada momento o PL atual da empresa. O VM é obtido multiplicando-se a quantidade total de ações pela cotação atual da ação em bolsa. Como consequência, o VM pode ser maior ou menor que o PL. Diferente do que muitos pensam, as ações de uma empresa que estejam negociadas abaixo do múltiplo P/VPA (Preço por Valor Patrimonial por Ação), que é equivalente a divisão VM/PL, não necessariamente estão baratas. Por quê? O PL reflete os custos passados e não necessariamente representam a realidade. Portanto, uma análise baseada exclusivamente no múltiplo P/VPA deve ser evitada, assim como todas as análises feitas com indicadores isolados. Uma companhia é um sistema complexo e sua análise requer um conjunto de informações e indicadores.

Por último, o VJ (ou Valor Intrínseco) busca avaliar a empresa com base nas perspectivas futuras de geração de riqueza. O VJ é normalmente calculado pelo método do fluxo de caixa descontado (DCF). O VJ pode estar acima ou abaixo tanto do VM quanto do PL. Em um processo de IPO (oferta inicial de ações), o que o investidor deve ter como referência básica é o VJ e não o PL ou mesmo o VM. Ele deve olhar as expectativas futuras e não o passado ou mesmo o presente. Os resultados históricos são importantes para se constatar a consistência da empresa, mas o que fará a ação se valorizar são os resultados futuros e sua sustentabilidade ao longo do tempo.

A planilha a seguir foi elaborada através de uma pesquisa feita no banco de dados SABE mostrando 47 empresas com balanços do 1º semestre de 2015 publicados negociadas atualmente em patamares acima e abaixo do valor patrimonial na Bovespa, através do resultado da relação entre o VM e o PL (P/VPA). Quanto maior essa relação, mais cara a empresa pode estar na Bolsa. Por outro lado, quando esta relação está abaixo de 1x pode indicar uma ação barata.

Ranking com Valor de Mercado, Patrim. Liquido e P/VPA em 1S2015 de 47 companhias.

Ranking com Valor de Mercado, Patrim. Liquido e P/VPA em 1S2015 de 47 companhias.
FONTE: Banco de Dados SABE – Sistema de Análise de Balanços Empresariais ©

Como dito anteriormente, a análise do P/VPA de forma isolada pode levar o leitor a decisões equivocadas. Portanto, cabe aqui uma reflexão sobre os maiores e menores resultados apurados e suas exceções.

Com relação aos maiores P/VPA, exceção deve ser feita para Minerva que embora tenha obtido um múltiplo de 9,65x foi favorecida por uma elevada valorização em bolsa (VM), provavelmente por conta do seu crescimento agressivo, comparada com um pequeno PL devido aos prejuízos acumulados desde 2012.

Outro destaque sobre os maiores P/VPA é Ambev com um múltiplo de 6,54x, excessivamente valorizada em bolsa, tendo alcançado em 30/06/2015 um VM superior a R$300 bilhões, liderando este ranking e seguida pelo Itauunibanco com VM de R$186 bilhões. Em outras palavras 1 Ambev estaria valendo 1,6 Itauunibanco. Uma possível explicação é que Ambev é hoje uma empresa do mundo e não do Brasil e, nesse caso, talvez devesse ser negociada na NYSE junto com outras companhias do seu porte. Mas, caro leitor, dada a natureza de nossas publicações que visam compartilhamento de ideias, gostaríamos de ouvir sua opinião a respeito.

Com relação aos menores P/VPA, duas exceções devem ser avaliadas: Even e BR Malls, duas boas companhias mal avaliadas pelo mercado. Even por conta do setor de Construção Civil que sofreu grande queda recentemente e BR Malls por conta da redução no consumo do mercado de varejo afetando inclusive os shoppings centers.

Concluindo, se insistíssemos com a tese de olhar individualmente o indicador V/VPA poderíamos ser traídos com a seguinte conclusão falsa: “na média as ações de 47 empresas estão baratas, pois possuem um P/VPA de apenas 2,99”. Cuidado!

Deixe o seu comentário sobre esta publicação ou solicite grátis uma pesquisa do seu interesse. Será um prazer ouvi-lo e interagir com você. Até a próxima!

Deixe seu comentário abaixo...

Leave A Response