TIM_Capa

TIM: propósito de conectar e cuidar de cada um para que todos possam fazer mais


LUIZ-GUILHERME-DIAS-e1443731843958Por Luiz Guilherme Dias | 23/Fev/2016.

 

Eu trocaria toda a minha tecnologia por uma tarde com Sócrates
Steve Jobs,
fundador da Apple

Fundada em 1995 após a divisão das atividades de telefonia fixa e móvel da Telecom Itália, a TIM unificou a partir de 2006 todas as suas operações no Brasil passando a se chamar TIM Participações (ou TIM Brasil). Em 2009 comprou a Intelig, na época sua principal rival no ramo de telecom. Em 2011 comprou a AES Atimus, ultrapassando a Claro e se tornando a 2ª maior operadora de telefonia celular do país. Neste mesmo ano negociou com a SKY para vender seus produtos em parceria. Atualmente a TIM é formada por três empresas: TIM Celular S.A., Intelig Telecom e AES Atimus todas pertencentes à TIM Participações, controlada pela TIM Brasil S.A., holding brasileira subordinada à TIM International.

Com a evolução do 4G a tendência dos negócios das empresas do setor aponta para a queda dos preços dos planos e o aumento da conexão de alta velocidade, ou seja: mais dados e menos preço. O uso cada vez mais intenso do WhatsApp com textos, imagens, vídeos e até voz marca uma nova fase de expansão da telefonia móvel 4G com acesso à internet em alta velocidade.

Segundo previsões do IDC, 70% dos celulares vendidos em 2016 serão 4G contra 40% em 2015. No natal de 2015 90% dos celulares vendidos foram 4G. Ao que tudo indica no Brasil o negócio das teles é investir em dados, pois telefonia fixa já era.

Segundo informações do site da TIM, de 2015 a 2017, a companhia deverá investir R$14bilhões na operação brasileira, sendo a maior parte do montante para a ampliação da cobertura 4G no país, em linha com o crescimento esperado da demanda por tráfego de dados.

Obs.: O comentário grátis sobre o desempenho de uma companhia aberta do seu interesse limita-se ao universo das empresas listadas na BM&FBovespa.

Obs.: O comentário grátis sobre o desempenho de uma companhia aberta do seu interesse limita-se ao universo das empresas listadas na BM&FBovespa.

Veja agora o que o nosso Banco de Dados SABE tem a mostrar sobre a evolução de receitas e resultados da TIM de 2006 a 2015, sobre o “Radar” de informações e indicadores financeiros de 2011 a 2015 e também como foi o desempenho em bolsa das ações TIMP3 (Tim Part ON) nos últimos 4 anos.

Evolução da Receita Líquida X Resultado Líquido (R$MM) – 10 Anos – TIM. Fonte: SABE ©

Evolução da Receita Líquida X Resultado Líquido (R$MM) – 10 Anos – TIM.
Fonte: SABE ©

A TIM apresentou um prejuízo de R$300MM em 2006 e, a partir daí, passou a dar lucros consistentes. A taxa de crescimento anual composta (CAGR) ao longo de 10 anos foi de: Receitas Líquidas (5,41% aa) e de Resultados Líquidos (44,35% aa) neste caso considerando, o período de 2007 a 2015 .

Radar de Informações e Indicadores Financeiros da TIM – 2011 a 2015. Fonte: SABE ©

Radar de Informações e Indicadores Financeiros da TIM – 2011 a 2015.
Fonte: SABE ©

Nos últimos 5 anos a TIM  apresentou um desempenho crescente em termos patrimoniais. Em termos de resultados o destaque é para a taxa de crescimento CAGR do Lucro Líquido de 10% a.a. A margem líquida e a rentabilidade patrimonial (ROE) na média ficaram entre 8% e 11% no período. Quanto ao endividamento da empresa a taxa anual acumulada (CAGR) foi de 12% e na relação dívida/PL manteve-se numa média próxima a 100% de 2011 a 2015.

Evolução Trimestral da Ação TIMP3 (TIM PART ON). Fonte: APLIGRAFElaboração: SABE ©

Evolução Trimestral da Ação TIMP3 (TIM PART ON).
Fonte: APLIGRAF – Elaboração: SABE ©

As ações TIMP3 tiveram uma desvalorização de 14% de 30/Mar/2011 a 16/Fev/2016. A cotação do papel saiu de R$7,35 e atingiu R$6,30 no final desse período (a cotação máxima no período foi de R$12,67). No mesmo período o Ibovespa teve uma queda de 40%, de 68.586 pontos para 40.933 pontos.

COMENTÁRIOS FINAIS:

A crise econômica não deverá impactar significativamente o setor de telecomunicações no país, em particular os negócios de telefonia móvel 4G. O mercado projeta que o total de clientes deve crescer cerca de 87% em 2016, passando dos atuais 23 milhões para 43 milhões de usuários. Por outro lado ainda existe um grande potencial para o crescimento do tráfego de dados por celular que ocupa hoje pouco mais de 8% das 274 milhões de linhas em uso no Brasil. Como em qualquer setor de atividade econômica as empresas com melhor gestão e governança deverão aproveitar este “boom”.

A SABE Consultores tem o propósito de compartilhar informações úteis e atualizadas sobre as empresas brasileiras com professores, universitários, contadores e investidores individuais. Manteremos você atualizado, como de costume, com novas informações extraídas do nosso Banco de Dados SABE.

Obs.: O comentário grátis sobre o desempenho de uma companhia aberta do seu interesse limita-se ao universo das empresas listadas na BM&FBovespa.

Obs.: O comentário grátis sobre o desempenho de uma companhia aberta do seu interesse limita-se ao universo das empresas listadas na BM&FBovespa.

Aproveite para deixar o seu comentário ao final desta página sobre o desempenho da TIM dentro do atual cenário de recessão econômica que está impactando todos os setores da economia, em particular o de Telecom.

Luiz Guilherme Dias é Sócio-Diretor da SABE Consultores, Consultor de Empresas e Conselheiro Certificado.

Deixe seu comentário abaixo...

Leave A Response