Temporada2016_II_Capa

Temporada de Balanços 2016 – Resultados ainda fracos, com recuperação lenta


LUIZ-GUILHERME-DIAS-e1443731843958Por Luiz Guilherme Dias | Rio, 07/Mar/2017.

 

“Os resultados são obtidos pelo aproveitamento das oportunidades e não pela solução de problemas. Os recursos precisam ser destinados às oportunidades e não aos problemas”

Peter DruckerEscritor, Professor e Consultor

Dando continuidade ao acompanhamento dos balanços do exercício encerrado em 31/Dez/2016, temos até o momento em nosso Banco de Dados SABE demonstrações financeiras individuais de 95 empresas e 19 bancos. Este artigo apresenta a 2ª prévia do desempenho das companhias abertas cujos balanços foram publicados até 03/Mar/2017.

Botão_FiquePorDentro2

As planilhas a seguir mostram o retrato consolidado da situação atual do conjunto das companhias da amostra mencionada:

Desempenho Acumulado – 95 Empresas e 19 Bancos – 2016.Fonte: SABE © Powered by Maestro ©

Desempenho Acumulado – 95 Empresas e 19 Bancos – 2016.
Fonte: SABE © Powered by Maestro ©

  • EMPRESAS: crescimento real negativo de receitas (abaixo da inflação), resultados crescendo mais de 12 vezes fortemente influenciado por companhias que amargaram grandes prejuízos em 2015, queda leve do endividamento líquido, aumento expressivo da geração de caixa medida pelo EBITDA, queda forte na relação Dívida Líquida/EBITDA e aumento do retorno do acionista (ROE) em 8,7 pp; No conjunto das Empresas em 2016 a relação Dívida Líquida/EBITDA foi de 4,48x, bem abaixo de 2015 (7,35x) e o ROE de 12,63%, bem acima do retorno equivalente de 2015 (3,93%);
  • BANCOS: crescimento real negativo de receitas (bem abaixo da inflação), resultados em queda expressiva de mais de 20% e queda do retorno do acionista (ROE) em 4,8 pp; No conjunto dos Bancos em 2016 o ROE ficou em 13,48% bem abaixo do retorno equivalente de 2015 (18,33%).

Observando agora as companhias individualmente, as planilhas a seguir apresentam os maiores crescimentos de seus indicadores medidos pela comparação de 2015 contra 2016 e os maiores retornos do acionista em 2016.

Maiores Crescimentos e Retornos de Acionistas - Empresas 2016. Fonte: SABE ©

Maiores Crescimentos e Retornos de Acionistas – Empresas 2016.
Fonte: SABE ©

Maiores Crescimentos e Retornos de Acionistas - Bancos 2016. Fonte: SABE ©

Maiores Crescimentos e Retornos de Acionistas – Bancos 2016.
Fonte: SABE ©

 

COMENTÁRIOS FINAIS

Nesta 2ª prévia com cerca de 1/3 do total das 350 companhias listadas na bolsa, podemos identificar algumas conclusões preliminares:

  • RECEITAS: crescendo abaixo da inflação, tanto de Empresas quanto de Bancos, comportamento semelhante ao de 2015 em relação a 2014; Do lado das Empresas a metade teve queda de receitas de 2015 para 2016; Do lado dos Bancos somente 7 dos 19 tiveram aumento de receita de 2015 para 2016; o crescimento do Bradesco pode ser atribuído à compra do HSBC;
  • RESULTADOS: Das 95 Empresas 55% tiveram redução dos lucros de 2015 para 2016; A enorme variação de lucros de mais de 12 vezes de 2015 para 2016 é explicada pela recuperação de algumas companhias que tiveram grandes prejuízos em 2015 (Vale, Gerdau, GOL, Usiminas, Gerdau Met, Klabin S/A, All Amer Lat, Suzano Papel, Minerva e BR PROPERT) totalizando quase R$64 bilhões, dos quais só a Vale representou R$44 bilhões; Essas mesmas 10 empresas acumularam um resultado positivo acumulado próximo a R$13 bilhões em 2016; Em outras palavras, se excluíssemos essas 10 empresas da amostra o resultados das 85 restantes teria sido praticamente o mesmo; Dos 19 Bancos somente 5 cresceram (todos de pequeno porte), os demais tiveram queda nos resultados de 2015 para 2016;
  • DÍVIDAS: das 95 Empresas, 45% tiveram redução nas suas dívidas líquidas, de 2015 para 2016; as três maiores foram: HYPERMARCAS (69%), CIELO (66%) e TIM PART (56%);
  • RETORNO DO ACIONISTA: das 95 Empresas, 21 companhias (menos de 25% do total) tiveram em 2016 um ROE negativo por conta de prejuízos, inclusive a GOL por conta de patrimônio líquido negativo, embora com lucro em 2016; dos 19 Bancos, 3 companhias (Finansinos, Pine e Banco Pan) tiveram em 2016 um ROE negativo por conta de prejuízos; as maiores quedas de ROE de 2015 para 2016 foram: Banco do Brasil e BTGP Banco.

A SABE Consultores tem a missão de “organizar informações financeiras sobre as empresas brasileiras e torná-las acessíveis e úteis” e acredita que as empresas conscientes atuam de maneira a criar valor não só para si mesmas, mas também para seus clientes, colaboradores, fornecedores, investidores, comunidade e meio ambiente ou usando o jargão do momento para seus “stakeholders”. Manteremos você atualizado com novas informações extraídas do nosso Banco de Dados SABE.

Botão_FiquePorDentro2

Aproveite para deixar o seu comentário ao final desta página sobre este Artigo.

Luiz Guilherme Dias é Sócio-Diretor da SABE Consultores, Consultor de Empresas e Conselheiro Certificado.

E-mail: lg.dias@sabe.com.br

Deixe seu comentário abaixo...

Leave A Response