Temporada2016_Capa

Temporada de Balanços 2016 – Empresas com resultados crescentes e Bancos em queda


LUIZ-GUILHERME-DIAS-e1443731843958Por Luiz Guilherme Dias | Rio, 23/Fev/2017.

 

“No mundo dos negócios, o espelho retrovisor é sempre mais claro do que o para-brisa”

Warren Buffett Investidor

Estamos em plena safra de processamento de balanços do exercício encerrado em 31/Dez/2016, tendo até o momento em nosso Banco de Dados SABE demonstrações financeiras individuais de 46 empresas e 10 bancos. Este artigo apresenta a 1ª prévia do desempenho das companhias abertas cujos balanços foram publicados até 20/Fev/2017.

Botão_FiquePorDentro2

As planilhas a seguir mostram o retrato consolidado da situação atual do conjunto das companhias da amostra mencionada:

  • EMPRESAS: crescimento real negativo de receitas (abaixo da inflação), resultados quase que dobrando, queda do endividamento líquido, queda da geração de caixa medida pelo EBITDA, queda na relação Dívida Líquida/EBITDA e aumento do ROE; Em 2016 a relação Dívida Líquida/EBITDA foi de 3,49x e o ROE em 14,51% do conjunto das empresas;
  • BANCOS: crescimento real negativo de receitas (abaixo da inflação), resultados em queda expressiva de mais de 20% e queda do retorno do acionista; Em 2016 o ROE do conjunto dos bancos ficou em 13,54%.
Desempenho Consolidado – 46 Empresas e 10 Bancos – 2016.Fonte: SABE © Powered by Maestro ©

Desempenho Consolidado – 46 Empresas e 10 Bancos – 2016.
Fonte: SABE © Powered by Maestro ©

As planilhas a seguir apresentam os maiores crescimentos de indicadores medidos pela comparação de 2015 contra 2016 e os maiores retornos do acionista em 2016.

Maiores Crescimentos e Retornos de Acionistas - Empresas 2016. Fonte: SABE ©

Maiores Crescimentos e Retornos de Acionistas – Empresas 2016.
Fonte: SABE ©

Maiores Crescimentos e Retornos de Acionistas - Bancos 2016. Fonte: SABE ©

Maiores Crescimentos e Retornos de Acionistas – Bancos 2016.
Fonte: SABE ©

 

COMENTÁRIOS FINAIS

Embora seja ainda cedo para conclusões, dado que foram observadas menos de 20% do total de cerca de 350 companhias listadas na bolsa, podemos concluir que:

  • RECEITAS: crescendo abaixo da inflação, tanto de Empresas quanto de Bancos, comportamento semelhante ao de 2015 em relação a 2015; O crescimento do Bradesco pode ser interpretado pela compra do HSBC;
  • RESULTADOS: Empresas com crescimento influenciado por 3 companhias do Setor de Papel e Celulose, favorecidas pela queda do dólar e que tiveram suas dívidas reduzidas; Dos Bancos somente 2 cresceram, os demais tiveram queda nas receitas;
  • DÍVIDAS: das 46 Empresas, 20 tiveram redução nas dívidas líquidas, em relação a 2015; as três maiores foram: HYPERMARCAS (69%), CIELO (66%) e TIM PART (56%);
  • RETORNO DO ACIONISTA: das 46 Empresas, 11 tiveram em 2016 um ROE negativo por conta de prejuízos e no caso da GOL por conta de PL negativo, embora a GOL tenha dado lucro em 2016; os Bancos tiveram perdas de ROE influenciados por BTGP Banco e Banco do Brasil, cujos retornos caíram quase 10% em relação a 2015.

A SABE Consultores tem o propósito de “organizar informações financeiras sobre as empresas brasileiras e torná-las acessíveis e úteis” e acredita que as empresas conscientes atuam de maneira a criar valor não só para si mesmas, mas também para seus clientes, colaboradores, fornecedores, investidores, comunidade e meio ambiente ou usando o jargão do momento para seus “stakeholders”. Manteremos você atualizado com novas informações extraídas do nosso Banco de Dados SABE.

Botão_FiquePorDentro2

Aproveite para deixar o seu comentário ao final desta página sobre este Artigo.

Luiz Guilherme Dias é Sócio-Diretor da SABE Consultores, Consultor de Empresas e Conselheiro Certificado.

E-mail: lg.dias@sabe.com.br

Deixe seu comentário abaixo...

Leave A Response