TelefBrasil_Capa

Telefônica Brasil: Dívida caiu e lucro cresceu 23% nos 9M2016!


LUIZ-GUILHERME-DIAS-e1443731843958Por Luiz Guilherme Dias | Rio, 22/Dez/2016.

 

“O vazio criado pela incapacidade de se comunicar é rapidamente preenchido por veneno, tolices e falsidades”

Northcote ParkinsonHistoriador e Autor do best seller “A Lei de Parkinson”

A Telefônica Brasil é uma empresa do Grupo Telefónica, um dos principais conglomerados de comunicação do mundo. Foi originalmente formada a partir da Telebrás, companhia estatal de telecomunicações, que em 1998 foi vendida e privatizada pelo Grupo Telefónica, junto com a Telesp, formando a Telefônica Brasil. Em 2007, a empresa iniciou uma parceria estratégica com a TVA, da editora Abril, adquirindo 49% das ações ordinárias e 100% das preferenciais de MMDS. A incorporação total da TVA pela Telefônica ocorreu em 2012, após ser sancionada a “Lei da TV a Cabo” (Lei 12.485).

A Telefónica adquiriu as ações da Vivo que pertenciam à Portugal Telecom em 2010 e transferiu o controle da empresa para a Telefônica Brasil, subsidiária do grupo no país. No ano seguinte, a Telefônica Brasil incorporou todas as ações da Vivo. Em 2012, os serviços da Telefônica Brasil passaram a ser comercializados com a marca Vivo, dando assim origem à Telefônica Vivo.

Atualmente, o Grupo Telefónica tem presença em 21 países com mais de 125 mil colaboradores. No Brasil, a Telefônica Brasil totaliza cerca de 34 mil colaboradores e está presente em mais de 3.800 cidades, somando mais de 97,2 milhões de acessos dos quais 73,3 milhões no negócio móvel. Na operação fixa, que compreende voz, banda larga e TV por assinatura, o número de acessos chegou a 23,9 milhões, volume 1,9% superior ao 1T2015.

Botão_FiquePorDentro2

Com portfólio amplo e completo, passando por serviços como banda larga fixa e móvel, voz, ultra banda larga, TV e TI, a companhia está se tornando uma “onlife telco”, o que a posiciona favoravelmente para satisfazer as necessidades de seus clientes e atingir crescimento em novas receitas. A receita do Grupo no mundo em 2015 foi de 47,2 bilhões de euros, sendo 23,4% produzido pela Telefônica Brasil, equivalentes a R$42,1 bilhões. (Fonte: Wikipédia e Empresa).

Veja agora o que o nosso Banco de Dados SABE tem a mostrar sobre a Telefônica Brasil: “Radar de Desempenho Econômico-Financeiro de 2011 a 2015, comparação 9M2015 X 9M2016”, distribuição de valor adicionado (DVA) e desempenho em bolsa da ação VIVT4 (TELEF BRASIL PN).

Radar de Desempenho da Telefônica Brasil - R$Milhões (Consolidado)Fonte: SABE © powered by MAESTRO

Radar de Desempenho da Telefônica Brasil – R$Milhões (Consolidado)
Fonte: SABE © powered by MAESTRO

De 2011 a 2015 a Telefônica Brasil teve um desempenho crescente e equilibrado de contas patrimoniais e de resultado, a exceção do resultado líquido que sofreu redução na taxa CAGR motivada pela queda de 31% do lucro de 2014 para 2015. A dívida líquida também cresceu acompanhando os demais indicadores. A distribuição de valor adicionado (DVA) da empresa acompanhou o crescimento da companhia no período com aumento de 7,75% na taxa composta; em 2015 a empresa entregou R$31,2 bilhões de valor adicionado a seus stakeholders.

Na comparação dos 9M2015 versus os 9M2016, a Telefônica Brasil teve pequenas variações em suas contas patrimoniais, com redução de 4,35% da dívida líquida. Pelo lado dos resultados, teve aumento de receita, aumento expressivo de geração de caixa medida pelo EBITDA e também de resultado líquido levando a empresa a atingir um lucro de R$2,9 bilhões nos 9M2016, crescimento de 23% em relação a igual período de 2015. Por outro lado teve um aumento significativo de 14% na distribuição de valor para seus stakeholders.  Veja a seguir como foi o desempenho dos preços da ação VIVT4 (TELEF BRASIL PN).

Evolução Trimestral da Ação VIVT4 (TELEF BRASIL PN)Fonte: APLIGRAF – Elaboração: SABE ©

Evolução Trimestral da Ação VIVT4 (TELEF BRASIL PN)
Fonte: APLIGRAF – Elaboração: SABE ©

De 26/Dez/2011 a 19/Dez/2016 a ação VIVT4 teve uma desvalorização de quase 15,35%. A cotação ajustada de fechamento do papel saiu de R$36,93 e fechou em R$42,60 no final do período (a cotação máxima foi de R$46,61 em 26/Set/2016 e a mínima de R$32,90 em 24/Set/2012). No mesmo intervalo de tempo o Ibovespa subiu apenas 0,63%.

 

COMENTÁRIOS FINAIS:

A Telefônica Brasil faz parte do Setor de Telecomunicações composto de 5 empresas listadas em bolsa. Em 2015 foi disparada a líder em receitas líquidas com R$40,3 bilhões e a única que teve aumento (15%) em relação a 2014. Pela ótica de resultados líquidos a companhia também foi em 2015 a 1ª no ranking com lucro de R$3,4 bilhões, mas com queda de 31% em relação a 2014.

Em sua Mensagem sobre o Desempenho do 3º trimestre de 2016, a Administração da companhia informou que para fins de comparabilidade, as informações apresentadas no seu Relatório referem-se ao cenário “pro forma” combinado para os 9M2015, considerando a GVT Participações S.A.

Com relação aos custos a empresa informou que, excluindo gastos com depreciação e amortização, os custos operacionais registraram R$7.283,1 milhões no 3T16, com redução de 2,2% no comparativo anual. Excluindo o efeito não recorrente relativo à reestruturação organizacional realizada no 3T15, no montante de R$19,2 milhões, os custos apresentariam uma redução de 1,9% y-o-y, em um período em que a inflação acumulou 8,5% (IPCA). Na comparação com o trimestre anterior, os custos operacionais recorrentes mantiveram-se praticamente estáveis (+1,0%), já excluindo o efeito da provisão para reestruturação organizacional no 2T16.

Sobre investimentos (CAPEX) a companhia reportou que o Capex do 3T16 atingiu R$2.126,4 milhões. Excluindo o valor das licenças de 2,5GHz adquiridas no leilão de sobras realizado pela Anatel em 17/Dez/2015, no montante de R$ 185,5 milhões, o Capex do trimestre atinge R$1.941,0 milhões (-8,6% y-o-y), representando 18,2% da receita operacional líquida do período. Em 2016, a Companhia investiu 16,4% das receitas, refletindo o sucesso na implantação de iniciativas de eficiência e na captura de sinergias, enquanto espera uma aceleração na execução de Capex no 4T16. Nesse trimestre, os investimentos foram direcionados, em sua maioria, à ampliação da capacidade de rede e cobertura 4G e ao aumento da penetração do FTTx. (Fonte: Release de Resultados 3T2016 | 9M2016).

A SABE Consultores tem o propósito de “organizar informações financeiras sobre as empresas brasileiras e torná-las acessíveis e úteis” e acredita que as empresas vencedoras e que vieram para ficar são as que perseguem incessantemente valor para TODOS os seus stakeholders. Manteremos você atualizado com novas informações extraídas do nosso Banco de Dados SABE.

Botão_FiquePorDentro2

Aproveite para deixar o seu comentário ao final desta página sobre este Artigo.

Luiz Guilherme Dias é Sócio-Diretor da SABE Consultores, Consultor de Empresas e Conselheiro Certificado.

E-mail: lg.dias@sabe.com.br

Deixe seu comentário abaixo...

Leave A Response