Springs_Capa

Springs Global: Prejuízo compensado com crescimento de 35% do EBTIDA no 1T2016


LUIZ-GUILHERME-DIAS-e1443731843958Por Luiz Guilherme Dias | 31/Mai/2016.

 

“A indústria têxtil deve muito aos missionários, pois por onde os clérigos passaram disseminou-se a ideia de que o corpo deveria ser coberto o que foi muito benéfico para as empresas têxteis”
Mário Pereira Gomes,
jornalista

De acordo com informações do site da companhia, a Springs Global (“Springs”) é fruto da combinação de 2 companhias têxteis de tradição no setor: a CTNM, sediada no Brasil, e a Springs Industries, dos Estados Unidos. A Springs possui um complexo operacional de produtos têxteis para o lar com unidades de produção no Brasil, na Argentina e nos Estados Unidos.

A partir de 2009, a Springs passou a atuar diretamente no varejo monomarcas de cama, mesa e banho no Brasil, através da aquisição da rede de lojas MMartan. Mais recentemente, iniciou-se o desenvolvimento da rede de lojas Artex. Atualmente, as atividades de varejo monomarca da Springs estão concentradas na empresa AMMO Varejo.

Botão_FiquePorDentro

Veja agora o que o nosso Banco de Dados SABE tem a mostrar sobre a Springs: “Radar de Desempenho Econômico-Financeiro de 2011 a 2015 e a comparação 1T2015 X 1T2016”.

Radar de Desempenho Econômico-Financeiro da Springs Global (Consolidado) - Fonte: SABE ©

Radar de Desempenho Econômico-Financeiro da Springs Global (Consolidado) – Fonte: SABE ©

De 2011 a 2015 a Springs teve quedas leves de ativos e patrimônio. Com aumento consistente de receitas líquidas (CAGR de 10%), a empresa obteve crescimento de geração de caixa medida pelo EBITDA nesse período (7,44%); até 2014 vem reduzindo prejuízos, tendo obtido lucro de R$23 milhões em 2015. Na comparação do 1T2015 x 1T2016, a empresa mantém a consistência do aumento das receitas dos últimos 5 anos (quase 10%) e principalmente do EBITDA (35%), mas amargou prejuízo no 1º trimestre de 2016.

 

COMENTÁRIOS FINAIS

A Springs Global pertence ao setor da bolsa de Tecidos, Vestuário e Calçados que possui 21 companhias. Em 2015 a empresa ocupou a 5ª posição em receitas com 8,37% de market-share (R$2,3 bilhões), atrás de Alpargatas, Coteminas e Wembley. Por resultado ocupou a 5ª posição em lucro (R$23 milhões), atrás de Alpargatas, Grendene, Cia Hering e Dohler, mostrando recuperação em relação à 2014 que vinha com prejuízo.

Segundo informações do relatório da administração referente ao 1T2016, o prejuízo de R$22 milhões foi impactado pela valorização do real frente ao US$, que ocasionou resultado negativo de correção cambial sobre ativos denominados em dólar de R$ 14,4 milhões no 1T16 e variação de R$ 35,7 milhões em relação ao mesmo período do ano anterior.

Pelas projeções da administração, a Springs manterá a estratégia de consolidar sua posição de liderança no mercado de cama, mesa e banho, e de expansão de vendas nos canais multimarcas e mono marca, priorizando franquias, que requerem menor intensidade de capital. Para o ano de 2016, a empresa prevê crescimento de até 19% na receita, com expansão da margem EBITDA, em linha comas premissas do orçamento da Companhia.

A SABE Consultores tem o propósito de compartilhar informações úteis e atualizadas sobre as empresas brasileiras. Manteremos você atualizado com novas informações extraídas do nosso Banco de Dados SABE.

Botão_FiquePorDentro

Aproveite para deixar o seu comentário ao final desta página sobre o desempenho da Springs Global.

Luiz Guilherme Dias é Sócio-Diretor da SABE Consultores, Consultor de Empresas e Conselheiro Certificado.

E-mail: lg.dias@sabe.com.br

Deixe seu comentário abaixo...

Leave A Response