Souza Cruz: a marca que vai deixar saudades!!!

Souza Cruz: a marca que vai deixar saudades!!!


Fundada pelo imigrante português Albino Souza Cruz, em 25 de abril de 1903, no Rio de Janeiro, a Souza Cruz atua desde a produção e o processamento de fumo até a fabricação e a distribuição de cigarros, com um volume de 90 bilhões de cigarros por ano. A companhia é integrante do grupo British American Tobacco (BAT), o mais internacional dos grupos de tabaco, com marcas comercializadas em 180 países e no Brasil é líder absoluta no mercado de cigarros com cerca de 80% das vendas.

Como noticiado pela Infomoney e para tristeza de muitos investidores e apimequianos cariocas, no dia 15/10/2015 ocorreu o leilão de OPA (Oferta Pública de Aquisição) das ações da Souza Cruz (CRUZ3) na Bolsa. Das 378 milhões de ações da oferta, foram adquiridas 343 milhões pela BAT, cerca de 90% do total ofertado, ao preço de R$ 27,20 cada, com o objetivo de cancelar o registro de companhia aberta da companhia. Com a conclusão desta etapa, a empresa dará prosseguimento aos atos necessários para o cancelamento de seu registro perante a CVM.

Considerada por muitos gestores uma das melhores companhias da história da nossa Bolsa, seu fechamento de capital será muito ruim para os acionistas minoritários, dado que o preço pelo qual ela foi vendida foi muito baixo. Sendo grande parte de seus acionistas estrangeiros, a oferta acabou saindo em torno de apenas 5 libras esterlinas.

O principal motivo da tristeza é que de 2000 até 2014, a companhia entregou aos seus acionistas um ROE (rentabilidade sobre patrimônio líquido) invejável nunca inferior a 40% e de 58% na média dos 15 anos. Além disso, a ação da companhia é uma das preferidas do mercado, especialmente por investidores individuais, pelo fato da empresa ser uma das maiores pagadoras de dividendos da Bovespa, chegando a distribuir quase 100% do seu lucro.

Souza Cruz – Evolução do ROE (Retorno do Acionista) – 2000 a 2014. Fonte: SABE ©

Souza Cruz – Evolução do ROE % (Retorno do Acionista) – 2000 a 2014.
Fonte: SABE ©

Num ranking por ROE em 2014 de companhias com patrimônio líquido superior a R$1bilhão a Souza Cruz é a nº 1.

Ranking por ROE (Retorno do Acionista) – 2014. Fonte: SABE ©

Ranking por ROE (Retorno do Acionista) – 2014.
Fonte: SABE ©

Veja agora o que o nosso acervo de dados tem a mostrar sobre a evolução das informações e indicadores financeiros da Souza Cruz no período de 10 anos (2005 a 2014) e em seguida a comparação do 1º semestre de 2015 com o mesmo período de 2014.

Radar de Informações e Indicadores Financeiros da Souza Cruz – 2005 a 2014. Fonte: SABE ©

Radar de Informações e Indicadores Financeiros da Souza Cruz – 2005 a 2014.
Fonte: SABE ©

Da observação dos números podemos perceber que a Souza Cruz teve nos últimos dez anos uma situação patrimonial e financeira bastante sólida: ativos, capital de giro, receitas e resultados crescentes com endividamento decrescente. Destaque para o CAGR (taxa anual composta de crescimento) do EBIT (lucro antes dos impostos e taxas) e do resultado líquido, de 12,16% e 9,48% ao ano, respectivamente. Outro ponto que merece registro é sobre a taxa anual de crescimento das receitas de 5,33% e da margem líquida de 24,22% ao ano evidenciando ganhos de produtividade.

Informações e Indicadores Financeiros da Souza Cruz – 1S2014 X 1S2015. Fonte: SABE ©

Informações e Indicadores Financeiros da Souza Cruz – 1S2014 X 1S2015.
Fonte: SABE ©

A comparação do desempenho do 1º semestre deste ano com o do ano passado apresenta um quadro de quedas em praticamente todas as informações/indicadores da planilha acima, a exceção do crescimento das receitas e do ROE. Essas quedas foram decorrentes da estagnação da economia como também do aumento dos tributos que exigiu aumento do preço do cigarro favorecendo o contrabando que representa cerca de 1/3 do mercado brasileiro.

A evolução trimestral das cotações das ações CRUZ3 (Souza Cruz ON), do 4º Trim/2011 a 19/Out/2015, mostra o excelente desempenho em bolsa da companhia com uma valorização de 87,40% do preço do papel, que saiu de R$14,44 para chegar a R$27,06, enquanto nesse mesmo período o Ibovespa recuou -16,40%. Realmente, este é um papel que fará falta na Bovespa.

Evolução Trimestral da Ação CRUZ3. Fonte: APLIGRAF ©

Evolução Trimestral da Ação CRUZ3.
Fonte: APLIGRAF ©

COMENTÁRIOS FINAIS:

Sempre que a economia vai mal, os setores de bebidas e de fumo sofrem com os aumentos de tributos que normalmente são repassados para o consumidor. Apesar da queda de consumo de cigarro no país e da redução do número de fumantes a Souza Cruz consegue compensar seu desempenho sendo a maior exportadora de fumo do Brasil. A qualidade da gestão da companhia assegura ganhos de produtividade (margens) mesmo com a queda nas vendas do cigarro.

Deixe o seu comentário sobre como você avalia o fechamento de capital da Souza Cruz e solicite grátis uma pesquisa do seu interesse. Até a próxima!

Deixe seu comentário abaixo...

Leave A Response