Ambev_Capa

AMBEV – Uma gigante ameaçada?


LUIZ-GUILHERME-DIAS-e1443731843958Por Luiz Guilherme Dias | Rio, 14/Mar/2017.

 

“A cerveja e a cachaça são os piores inimigos do homem. Mas o homem que foge dos seus inimigos é um covarde”

Zeca PagodinhoCompositor

No final de 2015 publicamos um artigo sob o título “AMBEV – Uma gigante mundial”, mostrando o crescimento da empresa desde 1998 quando da fusão entre a Cia Antarctica Paulista e a Companhia Cervejaria Brahma (duas das cervejarias mais antigas do Brasil) até Out/2015, quando a companhia anunciou a aquisição da cervejaria SABMiller uma das maiores concorrentes de mercado, pelo valor de US$109bilhões, a 3ª maior fusão da história. Chamamos também atenção para a Cultura do Grupo que combina os princípios, as crenças e as práticas que orientam as ações e o comportamento de todos na Companhia: “Sonhamos alto, buscamos sempre melhorar, somos ousados e comprometidos”. Naquela ocasião a empresa contava com uma força de trabalho de 154.000 pessoas, produzindo mais de 200 marcas de bebidas e operando em 140 países da América, Europa e Ásia.

Atualmente o cenário é outro: a recessão atingiu todos os setores da atividade econômica do país, inclusive o de Alimentos e Bebidas onde está a gigante Ambev. De acordo com matéria publicada na Exame edição 1132, no 3º trimestre de 2016 a companhia teve a pior margem de lucro em 12 anos, o volume de cervejas voltou ao patamar de 2009 e a empresa informou que não cumpriria a meta de fechar 2016 com o mesmo faturamento de 2015.

Botão_FiquePorDentro2

Veja agora o que o nosso Banco de Dados SABE tem a mostrar sobre a comparação dos números da AMBEV de 2016 x 2015, do 4T2016 x 4T2015 e veja também como foi a evolução do desempenho na Bovespa das suas ações ABEV3 (Ambev ON) no curto e longo prazo.

Informações e Indicadores Financeiros da AMBEV – 2015 X 2016.Fonte: SABE © - Powered by Maestro ©

Informações e Indicadores Financeiros da AMBEV – 2015 X 2016.
Fonte: SABE © – Powered by Maestro ©

Comparando o desempenho de 2015 contra 2016, notamos uma redução das contas patrimoniais juntamente com um aumento do endividamento líquido. O índice Dívida Líquida/EBITDA está em patamar baixo, mas aumentou mais de 18% de 2015 (1,20x) para 2016 (1,42x). Do lado das contas de resultado, percebemos queda de receitas, de resultado bruto, de geração de caixa medida pelo EBITDA, mas um leve aumento no resultado líquido de 2015 para 2016, em parte pelo desempenho do 4T2016.

Evolução da Ação AMBEV ONFonte: APLIGRAF © | Elaborado por SABE ©

Evolução da Ação AMBEV ON
Fonte: APLIGRAF © | Elaborado por SABE ©

Em quase 5 anos o preço de fechamento ajustado das ações ABEV3 (AMBEV ON) teve uma valorização de pouco mais de 35%, nos últimos 12 meses caiu quase 4% e nos últimos 30 dias o papel “andou de lado”. Em 5 anos o Ibovespa subiu 0,32% e nos últimos 12 meses subiu 31%.

A participação de mercado da Ambev caiu de 70% em 1999, época da fusão Brahma-Antarctica, para cerca de 60% segundo dados da Receita Federal. Outra ameaça em curso é o crescimento da Heineken após a compra da Brasil Kirin, em fase de aprovação no CADE. O mercado de cervejas no Brasil está mudando com os efeitos da “comoditização”, ou seja, o consumidor escolhe a cerveja mais barata. Por outro lado surgem cervejas artesanais que também impactam o consumo.

A Ambev reage aos efeitos das mudanças praticando redução de custos com embalagens de garrafas de vidro recicláveis, com investimentos, para fugir à guerra de preços, em cervejas mais caras tipo “premium” (Wals e Colorado) e com a entrada em outros segmentos de bebidas, como sucos de frutas e águas minerais.

Em síntese, embora a Ambev seja a empresa de maior valor de mercado, a líder em vendas e a líder em participação de mercado, o que vai definir o futuro do mercado de bebidas, em particular de cervejas, é a capacidade de gestão da companhia diante desse cenário de oportunidades e ameaças.

A SABE Consultores tem o propósito de “organizar informações financeiras sobre as empresas brasileiras e torná-las acessíveis e úteis” e acredita que as empresas conscientes atuam de maneira a criar valor não só para si mesmas, mas também para seus clientes, colaboradores, fornecedores, investidores, comunidade e meio ambiente ou usando o jargão do momento para seus “stakeholders”. Manteremos você atualizado com novas informações extraídas do nosso Banco de Dados SABE.

Botão_FiquePorDentro2

Aproveite para deixar o seu comentário ao final desta página sobre este Artigo.

Luiz Guilherme Dias é Sócio-Diretor da SABE Consultores, Consultor de Empresas e Conselheiro Certificado.

E-mail: lg.dias@sabe.com.br

 

Deixe seu comentário abaixo...

Leave A Response